terça-feira, 23 de agosto de 2011

Passado bate a porta!


É estranho como o passado nunca se torna realmente passado, constantemente ele bate na nossa porta e fala:
- Oi, eu ainda estou não se lembra?
Quantos erros, quantas besteiras fizemos, será que realmente corrigimos os erros que cometemos, será que fizemos as escolhas certas na hora certa, ou será que escolhemos o errado?
Hoje tudo que acontece, me culpo por não ter arriscado mais, não ter seguido meus instintos.
Se preocupar com o que terceiros pensam sempre foi um grande erro meu, quando coisa eu deixei de fazer por pensar nos outros. Deixei de viver o meu amor, preocupado com os outros, hoje sou punido pela vida, por estas atitudes. 
Quero enterrar o meu passado, mas preciso dele vivo para me lembrar de não cometer as mesmas besteiras de novo. Hoje eu estou muito confuso, vou terminar esta postagem com uma música que fala de arrependimento.



Always On My Mind

Chris De Burgh


Maybe I didn't love you quite as good as I should have,
Maybe I didn't hold you quite as often as I could have,
Litte things I should have said and done,
I just never took the time;
You were always on my mind,
You were always on my mind;
Maybe I didn't hold you all those lonely, lonely nights,
And I guess I never told you, I'm so happy that you're mine,
If I made you feel second best, I'm so sorry, I was blind,
You were always on my mind,
You were always on my mind;
Tell me, tell me that your sweet love hasn't died,
Give me, give me one more chance to keep you satisfied,
If I made you feel second best, I'm so sorry, I was blind,
You were always on my mind,
You were always on my mind.




Sei que esta música é mais famosa na voz do Elvis, mas prefiro as versões de Shakira e Chris de Burgh.

Reações:

1 comentários:

ah, como historiador, pra mim a gente vive no passado, sempre viveu, presente e futuro são apenas ilusões.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget