domingo, 29 de abril de 2012

A dor só aumenta...



“Como foi triste ver a crise de choro que minha mãe na última semana, ela chorava e tentava falar, mas não conseguia, parecia me pedir desculpas por tudo que estou passando (problemas com o marido dela), ela segurava em minha mão e chorava e a única coisa que entendi foi ela dizendo quero, quero, e chorava. Começou a se bater a apertar a própria garganta e chorar.
Como deve estar sendo difícil para ela, não falar, não andar, ser dependente. Ela sempre foi a pessoa que ajudava a todos e agora implora por ajuda. Os médicos disseram que era para tomar cuidado para ela não ter depressão, mas não sei como evitar. Se ela morrer, não sei como vou reagir...
Enquanto isso o marido dela passa o dia na rua enchendo a cara e quando volta para casa ainda me ameaça. Pode parecer fácil solucionar isso, pegar ela e tirar de casa, mas não é. Eles têm uma filha de 5 anos e neste caso a guarda poderia ficar com ele e isso faria minha mãe sofrer.
Esta situação é insuportável queria poder ajudá-la, mas me sinto incapaz. O marido dela por causa de um copo de cerveja esquece-se da mulher doente e da filha.
O pior é que este problema ainda interfere na minha relação com meu namorado, pois muitas vezes marco compromissos com ele e não consigo chegar a tempo e até comparecer, pois o marido dela que deveria ficar com ela sumiu. Ainda bem que ele tem sido paciente, mas me sinto incomodado.”



O texto acima eu escrevi a cerca de 2 meses e a coisa agora só piorou, decidi sair de casa, morar sozinho, mas me sinto culpado, parece que eu a estou a abandonando a própria sorte. 
Está última noite, todos nos recolhemos, inclusive o marido dela. No meio da noite ouço um barulho na porta do meu quarto, e fui ver do que se tratava: era minha mãe que veio se arrastando até meu quarto que é longe do dela (ela não conseguia nem bater na porta), para me pedir para fechar a porta, pois ele havia saído no meio da noite e largado a porta aberta e ela não conseguia fechar, a pergunta que me faço é: e se eu não estivesse ali para fechar o que ela faria? 
Na manhã seguinte nem sinal dele, acho que fiquei tão incomodado a noite depois disso, com receio que ele voltasse e quisesse briga, que nem dormi direito e acordei passando mal. Havia marcado com meu namorado, mas quase não fui por estar mal e ainda tinha que correr atrás de alguém para ficar com ela.
Sinto-me um covarde e culpado, pois ela já fez muitos sacrifícios por mim. 
Quero viver, mas quero que ela viva também. E hoje para finalizar minha dor, ela tentou o suicídio. Graças a Deus não conseguiu, mas e se algum dia conseguir. Cheguei a conclusão, alias já sei disso há muito tempo, só não queria acreditar, que ele quer que ela morra. E a está matando aos poucos, com ameaças, a assustando, a deixando sozinha e deprimida.

Reações:

4 comentários:

caramba, juan, que triste... não há como pedir ajuda de uma psiquiatra ou alguém que possa cuidar dela, como uma enfermeira? enfim, você que está dentro da situação é quem tem que ver o que deve ser feito e agir como sua percepção manda, mas tentar fazer as coisas e passar sozinho por isso parece que está sendo ruim pra você.

desejo o melhor pra você e pra todos ao redor.

#tenso e difícil de comentar ... entendo perfeitamente seu dilema ... muito difícil mesmo ... mas é a sua vida q está em jogo ... a dela ela escolheu como viver ... duro isto mas é a verdade ...

q vc encontre o seu caminho e a sua luz é o q posso te desejar ...

bjão

É a minha primeira visita ao teu blog e logo encontro uma situação muito triste e complicada.
Vou fugir aos clichés habituais do "podes contar comigo ou "força aí" e coisas do género, pois isso pode ajudar momentaneamente mas não resolve a situação. Acima de tudo tens que pensar em ajudar a tua Mãe por muito que isso te traga custos pessoais, mas ao menos tens a compreensão do teu namorado; apoia-te nele. pois nestas alturas precisamos essencialmente das pessoas que nos conhecem bem e nos são queridas.

Puxa, eu fico profundamente triste quando leio seus relatos, pois me coloco em seu lugar e me sensibilizo muito...
O que fazer numa situação dessas? Lamentavelmente nem sei o que dizer, somente passando por isso para agir de tal forma, mas pensaria e agiria como você, afinal não tem como largar ela nessas situação, ainda mais com um marido crápula desse.
Abraço, e força nesse momento muito triste...
Que Deus os abençoem sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget