terça-feira, 10 de maio de 2011

Meu sentimento neste momento.

Sei que mereço esse desprezo, sei que não fui um bom namorado, também sei que qualquer um faria o mesmo ou pior comigo. Mas isso não me impede de tentar mostrar  que eu me arrependi de ter sido o moleque mimado e insensato que fui. Ainda não tenho consciência de todos os meus erros, mas acredito que o principal defeito que é a soberba, eu já consegui identificar e começar a corrigi-lo. Além da soberba o fato de não me aceitar como sou contribuía para o meu mau comportamento. Quantas vezes disse ao meu amor que queria que ele ficasse longe de mim, estipulava prazos, determinava dias e horários, falava pra ele deixa de ser chato, dizia pra ele você não percebe como a minha vida é difícil. E ele, e o que ele sentia, e a vida dele, isso não me importava afinal, o centro da relação na minha concepção devia ser eu. Hoje sei que uma relação a dois não possui um centro, possui sim um elo e esse elo é o centro da atenção. Eu preferi quebrar esse elo, fiz ele desconfiar da minha palavra, por medo das reações dele, ao invés de falar a verdade das coisas para que ele não brigasse comigo, ou brigasse mas resolvêssemos, preferia inventar histórias envolvendo terceiros, tentando colocar a culpa das minhas falhas ou incompetências, nos outros. Hoje lembrei de três momentos da nossa relação que cometi erros que já havia me arrependido, o primeiro foi quando disse que queria que ele morresse, o segundo foi quando eu fiz um comentário que ofendeu algo que ele ama e ele fez um comentário que me ofendeu, e eu dei um soco no braço dele, mas foi algo que não deve existir em nenhuma relação e o terceiro foi a pouco tempo, quando disse a ele que para voltarmos a namorar ele precisaria entrar na faculdade, e ele achou que falei isso pois tinha vergonha dele. Como a gente pode ter vergonha do amor da nossa vida, eu nunca tive vergonha do meu AMOR, a vergonha que eu tinha era de eu ser gay, hoje não tenho mais vergonha de ser gay, pelo contrário.
Hoje sou eu que peço uma trégua, peço a  ele que me ouça, que me escute, mesmo que não acredite em mim, que me dê a oportunidade de provar que quero mudar, mas quero mudar pra ele. Uma vez ele me disse que eu tenho que mudar, mas é para o próximo. Não quero nem cogitar a possibilidade de um próximo. Quero o meu AMOR de volta.

Eu sempre fui um covarde, sempre tive medo chorar.


Reações:

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget